sábado, 11 de outubro de 2008



Jean-Marie quem?


nunca li um livro de monsieur Le Clézio. para dizer a verdade, imagino que sofra o mesmo destino que Miss Lessing: continuar por ler. recebi a notícia do Nobel via sms, justamente quando me encontrava acima do mundo, enchouriçada entre coletes, cordas e mosquetões. a minha reacção: ah. o que eu gostava era de um Nobel para a Flannery O'Connor [póstumo] ou para o Cormac McCarthy. mas ah, pois, «os EUA não participam no grande diálogo da literatura».
já calculava que o prémio fosse pingar sobre um(a) gajo(a) de que eu nunca sequer tivesse ouvido falar [vá lá, ao menos desta vez revelou-se um nome conhecido], e nem é que isso me aborreça por aí além. a única coisa que eu temia era o que disse o Mexia: que a febre Murakami fizesse das suas. ao menos posso suspirar de alívio.


Etiquetas: , , ,


posted by saturnine | 12:39 |


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

28 Comentários:

Blogger matilde disse...

oh, não gostas de murakami? eu gostei muito de "kafka à beira mar" e gostei assim-assim de "a rapariga que inventou um sonho".

4:22 da tarde  
Blogger menina limão disse...

subscrevo o suspiro de alívio.

e acrescento: ufa!

8:33 da tarde  
Blogger saturnine disse...

confesso o preconceito: nunca li e não o suporto. em nome do tal conhecimento, até gostava de ler o Kafka à Beira-Mar, se ao menos tivesse o mesmo númerod e páginas que o Sputnik, Meu Amor... de resto, parece-me um grande chato, que até pode ser um bom contador de histórias, mas dificilmente matéria Nobel. digo eu. e sublinho: ufa.

10:21 da tarde  
Blogger Samuel Pereira disse...

Febre Murakami? Chiça!

11:40 da tarde  
Blogger matilde disse...

Confesso que murakami talvez para um premio nobel nao esteja a altura, mas sou muito suspeita ja que a minha lista de escritores laureados de que nunca li sequer um livro, digamos que e extensa... mas a verdade e que nao li o kafka a beira mar, mas sim devorei-o. mas eu gosto dos livros assim, que nos levam velozmente por um mundo de fantasia, que a cada pagina nos surpreendem... mas novamente voltamos a minha iliteracia, o pouco que conheco leva-me a ser facilmente surpreendida, talvez...

7:19 da tarde  
Blogger Samuel Pereira disse...

Não Matilde, aquilo pode ser viciante. Olha, é como o tabaco: não é bom, mas vicia. Percebes? Bom, vicia.

11:45 da tarde  
Blogger matilde disse...

pois, mas o tabaco provoca uma série de problemas de saúde e agrava mais uns quantos. e um livro numa pessoa como eu?

de resto penso que a questão é: o que pretendemos nós de um livro? por vezes o que eu quero mesmo de um livro é que me leve daqui para um sítio bem longe, se ele for bom nisso... para mim é absolutamente um bom livro. (claro que há uns certos limites, relacionados com o respeito pelos outros, etc. mas estando dentro desses limites, está ok)

p.s. infelizmente no último comentário usei a palavra "iliteracia" que pelos vistos ainda nem sequer existe, é um neologismo derivado de illiteracy, e que a existir quererá dizer analfabetismo, que não era bem o que queria dizer, o que eu queria dizer é que não percebo muito de literatura (e já agora também não percebo muito de português... :| )

9:45 da manhã  
Blogger Samuel Pereira disse...

E cito o Lobo Antunes, coisa que já me tem valido alguns amargos de boca (as citações, não o Lobo Antunes): «Um bom livro não é necessariamente aquele que gostamos de ler.» É claro que o Lobo Antunes utiliza este dizer para, de alguma forma, varrer para debaixo do tapete o facto de só ter escrito trampa nestes últimos anos.

Percebo, então, que és uma pessoa I-don’t-know-much-about-art-but-I-know-what-I-like. Boa, já somos dois.

‘Iliteracia’: regista na Wikipedia.

8:03 da tarde  
Blogger Samuel Pereira disse...

Já agora, os dois únicos que valem a pena são o Norwegian wood e o Crónica do pássaro de corda. São bons de ler. Só.

11:34 da tarde  
Blogger alex disse...

as considerações sobre os escritores americanos são de uma burrice inominável.

acho que o murakami não merece o nobel, apesar de eu ter lido dois livros dele com agrado e ter um terceiro na pilha de livros para ler.

fica a milhas dos tais escritores que não participam no diálogo da literatura (arre, ainda não tinha lido esta cena e não a consigo engolir. >:( )

10:48 da tarde  
Blogger Samuel Pereira disse...

Bebe água. Diz que ajuda.

11:32 da tarde  
Blogger matilde disse...

ok, existe um livro, que considero um bom livro, que na altura em que o li, não fui sequer capaz de acabar de ler, era muito nova e impressionável e a meio do livro às vezes simplesmente tinha que parar de ler porque não via nada com as lágrimas, "Esteiros" de Soeiro Pereira Gomes. e pronto também existem outros, que apenas me arrastam para sítios ainda piores. mas os tempos que correm tem sido um bocado difíceis, e esse tipo de livros tem sido cobardemente enjeitados...

10:40 da manhã  
Blogger matilde disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

10:40 da manhã  
Blogger saturnine disse...

O "Esteiros" é um livro lindíssimo, de facto de fazer desfazer em lágrimas. hei-de relê-lo um dia destes.

8:20 da tarde  
Blogger Samuel Pereira disse...

Esse não é aquele dedicado aos pais (homens) que apenas tiveram filhas (mulheres)?

9:24 da tarde  
Blogger matilde disse...

(samuel, tenciono-te responder dentro de uma/duas semanas ;) )

1:04 da tarde  
Blogger saturnine disse...

não, Samuel, é dedicado "aos filhos dos homens que nunca foram meninos". ;)

5:10 da tarde  
Blogger matilde disse...

hummm... o samuel gosta de provocar as meninas. com quem tu te foste meter samuel... falo por mim e suspeito que também pela saturnine ;)

5:30 da tarde  
Blogger an_american disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

7:17 da tarde  
Blogger Samuel Pereira disse...

Ah bom. Eu sabia que era qualquer coisa desse género.

7:18 da tarde  
Blogger Samuel Pereira disse...

Sentes-te provocada, Matilde? Não me sabia detentor de tal poder.

7:20 da tarde  
Blogger saturnine disse...

matilde, não precisas de falar por mim, que no meu caso o Samuel já sabe bem com quem se está a meter. :)

Samuel, é uma dedicatória muito bonita. é curioso porque já quase não me lembro da história (li-o há vários anos), mas lembro-me sempre dessa frase. :)

7:43 da tarde  
Blogger matilde disse...

a bem dizer não me sinto provocada, apareceu-me apenas que aquela pergunta: "Esse não é aquele dedicado aos pais (homens) que apenas tiveram filhas (mulheres)?" era provocatória, é só.

10:33 da manhã  
Blogger an_american disse...

A vossa sorte em dois pontos: 1. Esta entrada está a ficar demasiado deslocada; 2. Fazer scroll é capaz de dar artrite.

10:49 da tarde  
Blogger Samuel Pereira disse...

E agora é a traquitana americana que me troca as voltas. Enfim, talvez não chova amanhã.

10:52 da tarde  
Blogger matilde disse...

(mas eu ainda nem sequer recomecei a ler os "Esteiros"... homens... :\)

9:52 da manhã  
Blogger Ana Cristina Leonardo disse...

Leia lá O Índio Branco. Acho que vai gostar. Ou L'Extase matérielle, este só conheço em francês.

10:09 da tarde  
Blogger saturnine disse...

ora, com semelhante recomendação, sou bem capaz de lhe dar uma oportunidade. um dia. :)

11:04 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial


spot player special




"us people are just poems"
[ani difranco]


*

calamity.spot[at]gmail.com



~*. through the looking glass .*~




little black spot | portfolio
Baucis & Philemon | tea for two
os dias do minotauro | against demons
menina tangerina | citrus reticulata deliciosa
the woman who could not live with her faulty heart | work in progress
pale blue dot | sala de exposições
o rosto de deus | fairy tales








---------------------------------------------------------------------------------------------------------------


~*. rearview mirror .*~


Maio 2003 . Junho 2003 . Julho 2003 . Agosto 2003 . Setembro 2003 . Outubro 2003 . Novembro 2003 . Dezembro 2003 . Janeiro 2004 . Fevereiro 2004 . Março 2004 . Abril 2004 . Maio 2004 . Junho 2004 . Julho 2004 . Agosto 2004 . Setembro 2004 . Outubro 2004 . Novembro 2004 . Dezembro 2004 . Janeiro 2005 . Fevereiro 2005 . Março 2005 . Abril 2005 . Maio 2005 . Junho 2005 . Julho 2005 . Agosto 2005 . Setembro 2005 . Outubro 2005 . Novembro 2005 . Dezembro 2005 . Janeiro 2006 . Fevereiro 2006 . Março 2006 . Abril 2006 . Maio 2006 . Junho 2006 . Julho 2006 . Agosto 2006 . Setembro 2006 . Outubro 2006 . Novembro 2006 . Dezembro 2006 . Janeiro 2007 . Fevereiro 2007 . Março 2007 . Abril 2007 . Maio 2007 . Junho 2007 . Julho 2007 . Agosto 2007 . Setembro 2007 . Outubro 2007 . Novembro 2007 . Dezembro 2007 . Janeiro 2008 . Fevereiro 2008 . Março 2008 . Abril 2008 . Maio 2008 . Junho 2008 . Julho 2008 . Agosto 2008 . Setembro 2008 . Outubro 2008 . Novembro 2008 . Dezembro 2008 . Janeiro 2009 . Fevereiro 2009 . Março 2009 . Abril 2009 . Maio 2009 . Junho 2009 . Julho 2009 . Agosto 2009 . Setembro 2009 . Outubro 2009 . Novembro 2009 . Dezembro 2009 . Janeiro 2010 . Fevereiro 2010 . Março 2010 . Maio 2010 . Junho 2010 . Julho 2010 . Agosto 2010 . Outubro 2010 . Novembro 2010 . Dezembro 2010 . Janeiro 2011 . Fevereiro 2011 . Março 2011 . Abril 2011 . Maio 2011 . Junho 2011 . Julho 2011 . Agosto 2011 . Setembro 2011 . Outubro 2011 . Janeiro 2012 . Fevereiro 2012 . Março 2012 . Abril 2012 . Maio 2012 . Junho 2012 . Setembro 2012 . Novembro 2012 . Dezembro 2012 . Janeiro 2013 . Janeiro 2014 .


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------


~*. spying glass .*~


a balada do café triste . ágrafo . albergue dos danados . almanaque de ironias menores . a natureza do mal . animais domésticos . antologia do esquecimento . arquivo fantasma . a rute é estranha . as aranhas . as formigas . as pequenas estruturas do ócio . atelier de domesticação de demónios . atum bisnaga . auto-retrato . avatares de um desejo . baggio geodésico . bananafish . bibliotecário de Babel . bloodbeats . caixa-de-lata . casa de cacela . chafarica iconoclasta . coisa ruim . com a luz acesa . comboio de fantasmas . complicadíssima teia . corpo em excesso de velocidade . daily make-up . detective cantor . dias com árvores . dias felizes . e deus criou a mulher . e.g., i.e. . ein moment bitte . em busca da límpida medida . em escuta . estado civil . glooka . i kant, kant you? . imitation of life . isto é o que hoje é . last breath . livros são papéis pintados com tinta . loose lips sink ships . manuel falcão malzbender . mastiga e deita fora . meditação na pastelaria . menina limão . moro aqui . mundo imaginado . não tenho vida para isto . no meu vaso . no vazio da onda . o amor é um cão do inferno . o leitor sem qualidades . o assobio das árvores . paperback cell . pátio alfacinha . o polvo . o regabofe . o rosto de deus . o silêncio dos livros . os cavaleiros camponeses no ano mil no lago de paladru . os amigos de alex . Paris vs. New York . passeio alegre . pathos na polis . postcard blues . post secret . provas de contacto . respirar o mesmo ar . senhor palomar . she hangs brightly . some variations . tarte de rabanete . tempo dual . there is only 1 alice . tratado de metatísica . triciclo feliz . uma por rolo . um blog sobre kleist . vazio bonito . viajador


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------


~*. the bell jar .*~



os lugares comuns: against demons . all work and no play . compêndio de vocações inúteis  .  current mood . filosofia e metafísica quotidiana . fruta esquisita menina aflita . inventário crescente de palavras mais-que-perfeitas . miles to go before I sleep . música no coração  .  música para o dia de hoje . o ponto de vista dos demónios . planos para dominar o mundo . this magic moment  .  you came on like a punch in the heart . you must believe in spring


egosfera: a infância . a minha vida dava um post . afirmações identitárias . a troubled cure for a troubled mind . april was the cruellest month . aquele canto escuro que tudo sabe . as coisas que me passam pela cabeça . fruto saturnino (conhecimento do inferno) . gotham style . mafarricar por aí . Mafia . morto amado nunca mais pára de morrer . o exílio e o reino . os diálogos imaginários . os infernos almofadados . RE: de mail . sina de mulher de bandido . the woman who could not live with her faulty heart . um lugar onde pousar a cabeça   .  correio sentimental


scriptorium: (des)considerações sobre arte . a noite . and death shall have no dominion . angularidades . bicho escala-estantes . do frio . do medo . escrever . exercícios . exercícios de anatomia . exercícios de respiração . exercícios de sobrevivência . Ítaca . lunário . mediterrânica . minimal . parágrafos mínimos . poemas . poemas mínimos . substâncias . teses, tratados e outras elocubrações quase científicas  .  um rumor no arvoredo


grandes amores: a thing of beauty is a joy forever . grandes amores . abraços . Afta . árvores . cat powa . colectânea de explicações avulsas da língua portuguesa  .  declaração de amor a um objecto . declaração de amor a uma cidade . desolação magnífica . divas e heróis . down the rabbit hole . drogas duras . drogas leves . esqueletos no armário . filmes . fotografia . geometrias . heart of darkness . ilustraçãoinício . matéria solar . mitologias . o mar . os livros . pintura . poesia . sol nascente . space is the place . the creatures inside my head . Twin Peaks . us people are just poems . verão  .  you're the night, Lilah


do quotidiano: achados imperdíveis . acidentes quotidianos e outros desastres . blogspotting . carpe diem . celebrações . declarações de emergência . diz que é uma espécie de portfolio . férias  .  greves, renúncias e outras rebeliões . isto anda tudo ligado . livro de reclamações . moleskine de viagem . níveis mínimos de suporte de vida . o existencialismo é um humanismo . só estão bem a fazer pouco


nomes: Aimee Mann . Al Berto . Albert Camus . Ana Teresa Pereira  . Bauhaus . Bismarck . Björk . Bond, James Bond . Camille Claudel . Carlos de Oliveira . Corto Maltese . Edvard Munch . Enki Bilal . Fight Club . Fiona Apple . Garfield . Giacometti . Indiana Jones . Jeff Buckley  .  Kavafis . Klimt . Kurt Halsey . Louise Bourgeois . Malcolm Lowry . Manuel de Freitas . Margaret Atwood . Marguerite Duras . Max Payne . Mia Couto . Monty Python . Nick Drake . Patrick Wolf  .  Sophia de Mello Breyner Andresen . Sylvia Plath . Tarantino . The National . Tim Burton


os outros: a natureza do mal . amigos . dedicatórias . em busca da límpida medida . retalhos e recortes



---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

...it's full of stars...


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

blogspot stats