quarta-feira, 30 de maio de 2007



Aquilo que o Last.fm não sabe






é que na verdade a música que mais tenho ouvido é a Fake Palindromes do meu querido Andrew Bird. faltam dois diazinhos e é oficial: tenho uma coisa por rapazes com nome de bicho que tocam violino e são escandalosamente bonitos.







Etiquetas: , ,


posted by saturnine | 13:10 | 12 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

quinta-feira, 24 de maio de 2007



I'm getting back into getting back into you *










---------------------------------
* Silver Jews




Etiquetas: , ,


posted by saturnine | 23:36 | 5 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

terça-feira, 22 de maio de 2007



.evoL


os meus desorganizados hábitos de escrita levam-me ao caos. o meu perfeccionismo obsessivo-compulsivo leva-me a picos de organização. este fim de semana vasculhei este blog de uma ponta à outra, desde o day one, em busca de matéria escrita compilável. e compilei. registei, cronologicamente, arquivei. quatro anos, quarenta e oito meses, dias e horas a perder de conta. eu vi aqui o filme da minha vida, a mancha escura das dores de crescimento, a procura titubeante de um ofício que resistisse à passagem do tempo. a nudez inicial desconcertou-me. e estão assinalados, como cruzes pregadas à beira da estrada, os grandes marcos, onde do que fui fiz outra coisa qualquer. o riso, o que dói, o lirismo, a dureza dos dias. e está lá, a grande derrocada, ou o grande desabrochar, o ponto em que abandonei irreversivelmente a familiaridade dias dias prometidos. o número de posts caiu para metade, menos que isso por vezes. ensaio pouco, quase nada, o exercício poético. sem angústias. a poesia é uma pedra polida durante séculos pelas marés. tem o seu tempo para se revelar. e há uma aprendizagem fundamental em ser-se mínimo - poder de facto dizer tanto mais, se se aprender a falar um pouco menos.



Etiquetas: ,


posted by saturnine | 00:35 | 12 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

domingo, 20 de maio de 2007



Radio Sol






a ouvir:
Glenn Miller | Moonlight Serenade



o verão está por toda a parte. pressentido nos muros que escaldam à emergência da tarde, nos corpos que se demoram a caminhar pelas ruas, nos rádios que tocam subitamente música antiga e fresca. como um cordão umbilical, a estação liga-nos à terra. saber que há um mar algures, cujas ondas rebentam, ritmadas, no seu perfume atlântico. desejar esse mar em antecipada alegria. há paragens distantes onde um coração pode ser feliz.





Etiquetas: , ,


posted by saturnine | 01:44 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Radio Sol





Glenn Miller | Moonlight Serenade



o verão está por toda a parte. pressentido nos muros que escaldam à emergência da tarde, nos corpos que se demoram a caminhar pelas ruas, nos rádios que tocam subitamente música antiga e fresca. como um cordão umbilical, a estação liga-nos à terra. saber que há um mar algures, cujas ondas rebentam, ritmadas, no seu perfume atlântico. desejar esse mar em antecipada alegria. há paragens distantes onde um coração pode ser feliz.

Etiquetas: , ,


posted by saturnine | 01:44 |


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Radio Sol





Glenn Miller | Moonlight Serenade



o verão está por toda a parte. pressentido nos muros que escaldam à emergência da tarde, nos corpos que se demoram a caminhar pelas ruas, nos rádios que tocam subitamente música antiga e fresca. como um cordão umbilical, a estação liga-nos à terra. saber que há um mar algures, cujas ondas rebentam, ritmadas, no seu perfume atlântico. desejar esse mar em antecipada alegria. há paragens distantes onde um coração pode ser feliz.



Etiquetas: , , ,


posted by saturnine | 01:44 | 8 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

sexta-feira, 18 de maio de 2007



De coração pequenino e apertadinho


num minúsculo ponto preto, outro coração também não caberia. esta noite, só me apetecia ajoelhar e chorar. há imagens absolutamente perfeitas, e o segredo do American Beauty reside numa delas: ter o coração tão cheio de comoção que parece um balão de ar quente prestes a rebentar. esta noite, só me apetecia ajoelhar e chorar. pensar sempre em demasiadas coisas ao mesmo tempo. o universo infinitando-se progressivamente, crescendo como se respirasse - inspiração, expiração, inspiração, expiração - como uma harmónica. e dentro dele, todas as coisas acompanhando essa respiração. os encontros, as paixões fulminantes, o arrefecimento, os desencontros, o afastamento, a queda para os escombros da memória, e eis depois, glorioso, o movimento reconciliador da inspiração: o regresso. das pessoas, das palavras, dos lugares conhecidos. respirando com o universo, todas as coisas regressam. e de comoção, esta noite, só me apetecia ajoelhar e chorar. no regresso a casa, a noite é um lugar semelhante ao corpo, inflamado, em chamas, afundado no breu. no carro, a Amy Winehouse a gritar you go back to her and I go back to black. só me apetecia ajoelhar e chorar. serpenteando através dos campos, a estrada nocturna é um lugar desabitado. poderia imaginar-me perdida, não saber de mim, se fingisse por um momento que não são estes os mesmos caminhos de todos os dias. na estrada, um cãozinho enroscado para dormir, que eu tive vontade de acolher, dar colo, cobrir com o espaço côncavo do meu corpo, porque um coração pequenino e apertadinho precisa sempre muito de dar um colo a alguém. só me apetecia ajoelhar e chorar. não ter palavras, saber que não há uma palavra que baste, que circunscreva, como um abraço, aquilo que designa. burilar, como uma pedra, a comoção. não ter um nome. se eu pudesse, esta noite ajoelhava e chorava.



Etiquetas: , , ,


posted by saturnine | 02:09 | 12 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

quarta-feira, 16 de maio de 2007



Little Fake Empire: livin' life small


wow. a 11 de Maio o little black spot celebrou quatro anos de existência e eu nem me apercebi. é muito tempo. suficiente para dizer que, depois das muitas coisas que um blog pode ser, my blog is my blog is my life.




The National | Fake Empire


Stay out super late tonight
picking apples, making pies
put a little something in our lemonade and take it with us
we're half-awake in a fake empire
we're half-awake in a fake empire

Tiptoe through our shiny city
with our diamond slippers on
do our gay ballet on ice
bluebirds on our shoulders
we're half-awake in a fake empire
we're half-awake in a fake empire

Turn the light out say goodnight
no thinking for a little while
lets not try to figure out everything at once
It's hard to keep track of you falling through the sky
we're half-awake in a fake empire
we're half-awake in a fake empire




Etiquetas: , , ,


posted by saturnine | 12:11 | 12 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

sábado, 12 de maio de 2007



The Travelling Journal Project - Terrorismo por uma boa causa




apelo a toda a gente que veja este post. ajudem, contribuam, façam barulho, resmunguem, sejamos terroristas por uma boa causa.



Etiquetas: ,


posted by saturnine | 22:46 | 4 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Dias felizes


quando há pássaros de papel





















no cesto do lixo.







Bill Callahan | Diamond Dancer


She was dancing so hard
She danced herself into a diamond




Etiquetas: ,


posted by saturnine | 15:12 | 5 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Late morning thoughts


muito antes da modernice do last.fm - a que eu, como a todas as infomodernices, cheguei tarde -, já a boa e velha Amazon me fazia recomendações de coisas para ouvir - e ler. o que é extraordinário, porque assente num pressuposto razoavelmente fiável, que é a afinidade do gosto ----> "as pessoas que compraram isto, também compraram aquilo", e depois toda a restante panóplia de associações possíveis, "as pessoas que gostam disto, também gostam daquilo", logo, "se gostas disto, também poderás gostar daquilo". sempre estive muito satisfeita com as recomendações da Amazon. até foi assim que cheguei à Isobel Campbell e ao Mark Lanegan. e sempre deu frutos tão bons que passei a considerar este um gesto levemente metafísico, cheio de mistérios que eu nem ansiava compreender - a mansa felicidade de ficar satisfeita chegava-me. mas quer dizer... recomendar-me o Salinger, o Peter Murphy e o Will Oldham? não é que nunca me tinha passado pela cabeça que os gajos não adivinhassem os discos/livros que já tenho? depois, mas... depois fui ver as novidades indicadas para mim e o novíssimo "Apples" da June Tabor sossegou-me. mas logo a seguir - se calhar achando que se safavam - dizem que também poderia considerar - atenção! - o "Neon Bible" dos Arcade Fire. Arcade Fire? ARCADE FIRE, eu? mas quéstamerda?!



Etiquetas: , ,


posted by saturnine | 13:54 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

quinta-feira, 10 de maio de 2007



Bang Bang (My baby shot me down)


«Temo que bastem os gestos tão imperfeitamente domésticos para indicar as precisas coordenadas do nosso esconderijo. Lugar onde aliás, nunca fomos felizes. Era o pânico miúdinho das ante-manhãs com as camisas sujas de sangue e as mãos acesas que nos cosia à tensão e nos mantia os corpos colados pela seiva espessa daquele desejo atordoado, próprio da fuga.
Ah e eu já sabia tudo isto, que tu não ficarias


>>> principalmente




eu sabia
que tu não ficarias




Etiquetas:


posted by saturnine | 21:57 | 1 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

quarta-feira, 9 de maio de 2007



Hey Mr. Tambourine Man, play a song for me






Melanie Sakfa | Mr. Tambourine Man


foi o Bonnie "Prince" Billy que me levou a recuar no tempo, fazer o crescimento ao contrário, crescer em retrospectiva. levou-me ao Richard Thompson - ao verso de emergência no fundo deste blog -, que por sua vez me levou aos Fairport Convention. muitas vezes suspeitei que o meu ofício tem rasgos de arqueologia, e temo. temo onde irei parar, o que irei descobrir, se assim se vai confirmando que quanto mais antiga, mais eu.

levou-me também à Melanie Safka, a que prestei pouca atenção até este ano. depois, numa conversa sobre o furor que a vinda da Joanna Newsom a Portugal provocou - a eterna discussão: voz maravilhosa de um anjo de inigualável beleza ou voz insuportável de hárpia que parece ter uma bola de ping-pong entalada na garganta - vem à luz a voz da Melanie Safka. desde então que quase não tenho ouvido outra coisa. ou sou eu que estou de facto muito velha, velha como as montanhas, ou então é só isto que é música perfeita para estes dias de verão emergente. mas poucas coisas fazem logo tanto sentido, sem suscitar desejo de compreender. não quero saber de anjos de voz maravilhosa, quero saber dos lugares de onde vem esta mulher - que traz dentro a Joni Mitchell e a Judee Sill e até, com esforço, a Sandy Denny. quando a Joanna cantar assim, cantará para mim.




Melanie Sakfa | (Some say) I got devil



Etiquetas: , ,


posted by saturnine | 14:17 | 21 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

terça-feira, 8 de maio de 2007



Vou ali e já venho




o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio o tédio (e o copy/paste)



Etiquetas:


posted by saturnine | 14:23 | 3 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

sábado, 5 de maio de 2007



Do adorável inesperadof


coisas que salvam. momentos que redimem. é o inesperado que nos resgata do lodo pantanoso da monotonia, e nos coloca novamente frente a uma janela, a um vidro limpo, translúcido, com vista sobre o mundo. encontrar uma música onde não é antecipada, onde é menos provável, recebê-la como um soco, um golpe incisivo: "Northern Sky - Nick Drake - no Serendipity. "Svefn-g-englar" - Sigur Rós - no Vanilla Sky. e agora, agora, quem diria, quem poderia prever, na pasmaceira de sábado à tarde, eis Nick Drake! Nick Drake, "Black Eyed Dog" - imagine-se! - no Practical Magic. e caso nos achássemos capazes de nos vermos refeitos da comoção - tungas! -, sem dó nem piedade, levamos com a Joni Mitchell. "A case of you", assim, sem uma palavra de sobreaviso.



Etiquetas: , ,


posted by saturnine | 18:06 | 5 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------


My blood beats black tonight


nem sempre acontece que o fundo sonoro deste blog seja um estado de espírito, mas muitas vezes é. e às vezes, algumas, é ainda mais: é literalidade. no need for comfort no need for light i'm hunting down demons tonight. o que significa que há Dylan Thomas por todo o lado, impregnado em cada fibra, como um perfume subtil: estou a entrar depressa na noite escura. sem amuletos, sem protecção, sem um segredo que nos guarde do sono acordado dos demónios. a noite é uma floresta negra, onde gigantescos braços como tentáculos nos alcançam e não nos seguram.



«meu deus, a noite é longa, receio não ter forças para te amar sempre com esta força. porque há alguém sempre junto de nós, fazendo tanto ruído, enchendo tanto espaço? trespassando o nosso corpo, como se fosse um espaço seu? albinoni reclina-se longínquo, a terra atrai-me com um imenso cansaço. pequenos estilhaços de luz lampejam à flor das ervas. dormirei com tições ainda incadescentes dentro das órbitas, sem qualquer outra protecção contra a noite»


Vítor Oliveira Jorge



Etiquetas: ,


posted by saturnine | 01:10 | 2 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

spot player special




"us people are just poems"
[ani difranco]


*

calamity.spot[at]gmail.com



~*. through the looking glass .*~




little black spot | portfolio
Baucis & Philemon | tea for two
os dias do minotauro | against demons
menina tangerina | citrus reticulata deliciosa
the woman who could not live with her faulty heart | work in progress
pale blue dot | sala de exposições
o rosto de deus | fairy tales








---------------------------------------------------------------------------------------------------------------


~*. rearview mirror .*~


Maio 2003 . Junho 2003 . Julho 2003 . Agosto 2003 . Setembro 2003 . Outubro 2003 . Novembro 2003 . Dezembro 2003 . Janeiro 2004 . Fevereiro 2004 . Março 2004 . Abril 2004 . Maio 2004 . Junho 2004 . Julho 2004 . Agosto 2004 . Setembro 2004 . Outubro 2004 . Novembro 2004 . Dezembro 2004 . Janeiro 2005 . Fevereiro 2005 . Março 2005 . Abril 2005 . Maio 2005 . Junho 2005 . Julho 2005 . Agosto 2005 . Setembro 2005 . Outubro 2005 . Novembro 2005 . Dezembro 2005 . Janeiro 2006 . Fevereiro 2006 . Março 2006 . Abril 2006 . Maio 2006 . Junho 2006 . Julho 2006 . Agosto 2006 . Setembro 2006 . Outubro 2006 . Novembro 2006 . Dezembro 2006 . Janeiro 2007 . Fevereiro 2007 . Março 2007 . Abril 2007 . Maio 2007 . Junho 2007 . Julho 2007 . Agosto 2007 . Setembro 2007 . Outubro 2007 . Novembro 2007 . Dezembro 2007 . Janeiro 2008 . Fevereiro 2008 . Março 2008 . Abril 2008 . Maio 2008 . Junho 2008 . Julho 2008 . Agosto 2008 . Setembro 2008 . Outubro 2008 . Novembro 2008 . Dezembro 2008 . Janeiro 2009 . Fevereiro 2009 . Março 2009 . Abril 2009 . Maio 2009 . Junho 2009 . Julho 2009 . Agosto 2009 . Setembro 2009 . Outubro 2009 . Novembro 2009 . Dezembro 2009 . Janeiro 2010 . Fevereiro 2010 . Março 2010 . Maio 2010 . Junho 2010 . Julho 2010 . Agosto 2010 . Outubro 2010 . Novembro 2010 . Dezembro 2010 . Janeiro 2011 . Fevereiro 2011 . Março 2011 . Abril 2011 . Maio 2011 . Junho 2011 . Julho 2011 . Agosto 2011 . Setembro 2011 . Outubro 2011 . Janeiro 2012 . Fevereiro 2012 . Março 2012 . Abril 2012 . Maio 2012 . Junho 2012 . Setembro 2012 . Novembro 2012 . Dezembro 2012 . Janeiro 2013 . Janeiro 2014 .


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------


~*. spying glass .*~


a balada do café triste . ágrafo . albergue dos danados . almanaque de ironias menores . a natureza do mal . animais domésticos . antologia do esquecimento . arquivo fantasma . a rute é estranha . as aranhas . as formigas . as pequenas estruturas do ócio . atelier de domesticação de demónios . atum bisnaga . auto-retrato . avatares de um desejo . baggio geodésico . bananafish . bibliotecário de Babel . bloodbeats . caixa-de-lata . casa de cacela . chafarica iconoclasta . coisa ruim . com a luz acesa . comboio de fantasmas . complicadíssima teia . corpo em excesso de velocidade . daily make-up . detective cantor . dias com árvores . dias felizes . e deus criou a mulher . e.g., i.e. . ein moment bitte . em busca da límpida medida . em escuta . estado civil . glooka . i kant, kant you? . imitation of life . isto é o que hoje é . last breath . livros são papéis pintados com tinta . loose lips sink ships . manuel falcão malzbender . mastiga e deita fora . meditação na pastelaria . menina limão . moro aqui . mundo imaginado . não tenho vida para isto . no meu vaso . no vazio da onda . o amor é um cão do inferno . o leitor sem qualidades . o assobio das árvores . paperback cell . pátio alfacinha . o polvo . o regabofe . o rosto de deus . o silêncio dos livros . os cavaleiros camponeses no ano mil no lago de paladru . os amigos de alex . Paris vs. New York . passeio alegre . pathos na polis . postcard blues . post secret . provas de contacto . respirar o mesmo ar . senhor palomar . she hangs brightly . some variations . tarte de rabanete . tempo dual . there is only 1 alice . tratado de metatísica . triciclo feliz . uma por rolo . um blog sobre kleist . vazio bonito . viajador


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------


~*. the bell jar .*~



os lugares comuns: against demons . all work and no play . compêndio de vocações inúteis  .  current mood . filosofia e metafísica quotidiana . fruta esquisita menina aflita . inventário crescente de palavras mais-que-perfeitas . miles to go before I sleep . música no coração  .  música para o dia de hoje . o ponto de vista dos demónios . planos para dominar o mundo . this magic moment  .  you came on like a punch in the heart . you must believe in spring


egosfera: a infância . a minha vida dava um post . afirmações identitárias . a troubled cure for a troubled mind . april was the cruellest month . aquele canto escuro que tudo sabe . as coisas que me passam pela cabeça . fruto saturnino (conhecimento do inferno) . gotham style . mafarricar por aí . Mafia . morto amado nunca mais pára de morrer . o exílio e o reino . os diálogos imaginários . os infernos almofadados . RE: de mail . sina de mulher de bandido . the woman who could not live with her faulty heart . um lugar onde pousar a cabeça   .  correio sentimental


scriptorium: (des)considerações sobre arte . a noite . and death shall have no dominion . angularidades . bicho escala-estantes . do frio . do medo . escrever . exercícios . exercícios de anatomia . exercícios de respiração . exercícios de sobrevivência . Ítaca . lunário . mediterrânica . minimal . parágrafos mínimos . poemas . poemas mínimos . substâncias . teses, tratados e outras elocubrações quase científicas  .  um rumor no arvoredo


grandes amores: a thing of beauty is a joy forever . grandes amores . abraços . Afta . árvores . cat powa . colectânea de explicações avulsas da língua portuguesa  .  declaração de amor a um objecto . declaração de amor a uma cidade . desolação magnífica . divas e heróis . down the rabbit hole . drogas duras . drogas leves . esqueletos no armário . filmes . fotografia . geometrias . heart of darkness . ilustraçãoinício . matéria solar . mitologias . o mar . os livros . pintura . poesia . sol nascente . space is the place . the creatures inside my head . Twin Peaks . us people are just poems . verão  .  you're the night, Lilah


do quotidiano: achados imperdíveis . acidentes quotidianos e outros desastres . blogspotting . carpe diem . celebrações . declarações de emergência . diz que é uma espécie de portfolio . férias  .  greves, renúncias e outras rebeliões . isto anda tudo ligado . livro de reclamações . moleskine de viagem . níveis mínimos de suporte de vida . o existencialismo é um humanismo . só estão bem a fazer pouco


nomes: Aimee Mann . Al Berto . Albert Camus . Ana Teresa Pereira  . Bauhaus . Bismarck . Björk . Bond, James Bond . Camille Claudel . Carlos de Oliveira . Corto Maltese . Edvard Munch . Enki Bilal . Fight Club . Fiona Apple . Garfield . Giacometti . Indiana Jones . Jeff Buckley  .  Kavafis . Klimt . Kurt Halsey . Louise Bourgeois . Malcolm Lowry . Manuel de Freitas . Margaret Atwood . Marguerite Duras . Max Payne . Mia Couto . Monty Python . Nick Drake . Patrick Wolf  .  Sophia de Mello Breyner Andresen . Sylvia Plath . Tarantino . The National . Tim Burton


os outros: a natureza do mal . amigos . dedicatórias . em busca da límpida medida . retalhos e recortes



---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

...it's full of stars...


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

blogspot stats