quinta-feira, 30 de dezembro de 2004




*¨have a groovy 2005.~^



posted by saturnine | 13:31 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



(ok! that does it!)

não se consegue resolver o mundo pela música, não se consegue resolver pelas palavras, muito menos se resolve o que quer que seja pelo amor. quando tudo o resto não resulta, é tempo para o Brian:


Now, FUCK OFF!


e as coisas parecem logo outra vez em ordem.

posted by saturnine | 02:24 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



>>> and miles to go before I sleep #10


porque me acenas à beira da água
e me deixas à míngua na margem da sede?

posted by saturnine | 02:18 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

quarta-feira, 29 de dezembro de 2004




I really can't stand being alone all the time.

Jeff Buckley

posted by saturnine | 22:51 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



//espanta-espíritos


sim, definitivamente era isso que eu fazia. punha o little black spot a cantar este álbum do princípio ao fim.

posted by saturnine | 22:46 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



The pain is evident in my existence *


aquilo de que eu gostava mesmo mesmo mesmo era de pôr este blog a cantar. era assim que eu resolvia o mundo.




_________________________
* Fiona Apple

posted by saturnine | 22:41 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



(será que arrisco?)


o corpo inflamado pela violência
de outro corpo que falta
à noite incandescente.

(a boca destinada à terra
as unhas destinadas às cinzas)

posted by saturnine | 18:19 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



//por favor, eu preciso



posted by saturnine | 01:40 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

terça-feira, 28 de dezembro de 2004




The downward spiral






so if you catch me trying to find my way into your heart from under your skin fast as you can, baby scratch me out, free yourself fast as you can . I thought it was a bird, but it was just a paper bag hunger hurts, and I want him so bad, oh it kills 'cause I know I'm a mess he don't wanna clean up I got to fold 'cause these hands are too shaky to hold hunger hurts, but starving works, when it costs too much to love . and have you ever wanted something so badly that it possessed your body and your soul through the night and through the day until you finally get it and then you realise that it wasn't what you wanted after all and then those selfsame, sickly little thoughts now go and attach themselves to something rr somebody new and the whole goddamn thing starts all over again . in our lives we hunger for those we cannot touch all the thoughts unuttered and all the feelings unexpressed play upon our hearts like the mist upon our breath . tonight the wolves are howling I can't escape from you . I'm trying to decide which way to go I think I made a wrong turn back there somewhere


___________________________________________



os discos sucedem-se e de tal forma se emaranham e confundem com a noite, que eu própria estou presa dentro deles e não me distingo. há-de ser o choque de que ainda não me recompus, tanto tempo a a imaginar-me Penélope e afinal de Calipso não passo. insisto que há coisas inexplicáveis (e ainda bem), outras indizíveis, e ainda alguns momentos que são melhores do que outros. não sei ainda o que fazer de mim.



posted by saturnine | 19:02 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



//post-it na janela


Will you meet me in the morning, with sun fresh on the dew?
Will you meet me in the afternoon, made just for me and you?
Will you meet me in the evening, when the nighttime starts to crawl?
Will you meet me in the hall?
Will you meet me on the wall?
Will you meet me at all?


Violent Femmes | I know it's true but I'm sorry to say

posted by saturnine | 18:57 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



//play dead


vermelho no corpo, cereja nas unhas, prata nos olhos. como se fosse possível ludibriar o inverno, apagar as sombras do rosto. só o daydreaming sustenta estas horas impossíveis.

posted by saturnine | 18:10 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



//do improvável inesperado

a noite demasiado longa (como quando era criança e tudo era sempre muito grande) para conseguir sossegar, e as borboletas no estômago.

posted by saturnine | 01:27 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

segunda-feira, 27 de dezembro de 2004




//from dusk til dawn

há uma voz que enche a noite e atravessa as ruas da cidade. é princípio de inverno e a noite está muda de espanto.


Matt Johnson


And have you ever wanted something so badly
That it possessed your body and your soul
Through the night and through the day?
Until you finally get it
And then you realise
That it wasn't what you wanted after all
And then those self same sickly little thoughts
Now go and attach themselves to something ... or somebody, new!
And the whole Goddamn thing starts all over again


The The | True Happiness This Way Lies

posted by saturnine | 21:58 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



//pormenores que operam milagres

um passeio pelo silêncio da serra e a música certa no fim do caminho.


Believe that life can change
That you’re not stuck in vain


Smashing Pumpkins | Tonight Tonight

posted by saturnine | 21:47 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

sábado, 25 de dezembro de 2004




>>> Calypso


recebi no sapatinho um frasquinho de Calypso de Lancôme. agora, sim, tenho a certeza dos regressos logrados e da inutilidade das esperas. é certamente um sinal para seguir em frente, pois Ulisses não tornará a esta praia. respira-se o alívio de uma primeira liberdade. frágil, mas inteira. I just move on.

posted by saturnine | 21:01 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



>>> Black Earth


With skull-imprinted black on black packaging, Black Earth looks like a heavy metal release, but in fact is a smoothly sophisticated excursion into a deep, dark, jazz, lounge underbelly.
Their style sits somewhere between Godspeed You Black Emperor! & Sigur Rós. They call it
horror jazz.

____________________________
este álbum invade o espaço da casa como a noite pelo meio das árvores, uma noite negra e um chão cheio de sombras dramáticas. há coisas inexplicáveis, sim, e há outras ainda indizíveis. são essas as que nos exigem o silêncio. e assim permanecemos, mudos e imóveis, rendidos, enquanto somos esmagados pelo deslumbramento e assombro.

posted by saturnine | 20:43 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



//under the (sycamore) trees *







ácer e carvalheira em redor da casa.


_______________________________
* Jimmy Scott

posted by saturnine | 20:14 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

sexta-feira, 24 de dezembro de 2004




posting before Christmas



a primeira prenda de Natal deste ano não oferecida por mim a mim própria. lembro-me de um post que tentei escrever da serra, há tempos, e que se perdeu. dizia que há horas do dia melhores que outras. há coisas inexplicáveis, e ainda bem. há aqueles de quem sentimos falta e as coisas que nos transportam aos lugares mais interiores. parto agora para a noite, ainda sem saber de mim.

posted by saturnine | 19:20 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



lonely mornings & sunny afternoons


não sou muito de fazer balanços de fim de ano. dedico-me antes a outro tipo de coisas inúteis. não encontro conforto em avaliar os equívocos dos dias passados. e, do mesmo modo, não acredito em resoluções forjadas por motivo do ano que acaba: é que todos os dias são dias de mudança. contudo, permito-me isto:


She told me she loved me,
which means she must be insane
I've had my face dragged in fifteen miles of shit
and I do not, and I do not, and I do not like it
So how can anybody say they know how I feel
the only one around here who is me is me

(so how can anybody possibly think they know how I feel,
everybody look, see pain, and walk away)


Morrissey | How can anybody possibly think they know how I feel

___________________________________

* mas, contra toda a desordem do mundo:

___________________________________



While truckin' down the road of life, although all hope seems gone,
I just move on.

When I can't find a single star to hang my wish upon, I just move on,
I move on.

I run so fast, a shotgun blast can hurt me not one bit.

I'm on my toes cause heaven knows a moving target's hard to hit.

So as we play in life's ballet, we're not the dying swans, we just move on,
we move on.

Just when it seems we're out of dreams, and things have got us down.

We don't despair, we don't go there, we hang our bonnets out of town.

So there's no doubt we're well cut out to run life's marathon, we just move on,
we just move on.

So fleet of foot, we can't stay put, we just move on.
Yes, we move on!


Catherine Zeta-Jones & Renee Zelwegger | I move on
Chicago O.S.T.

posted by saturnine | 15:41 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



>>> and miles to go before I sleep #9


é meia noite e é como se as próprias árvores chorassem. é peso a mais este não saber o que fazer de mim.




(Now it's dark.)

Into the night
I cry out
I cry out your name.
Into the night
I search out
I search out your love.
Night so dark
Where are you?
Come back in my heart
So dark

So dark.


Into the night | Julee Cruise
Twin Peaks O.S.T.

posted by saturnine | 01:11 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

quinta-feira, 23 de dezembro de 2004




serendipity


acordar subitamente no sofá, a televisão ligada e, de entre todas as coisas improváveis: John Cusack - e eu nem sei se gostas da palavra serendipity, mas é certo que este foi um acaso feliz, pois se acordo justamente para, de entre todas as coisas improváveis, ouvir Nick Drake na banda sonora de um filme, onde nada o faria prever:

I never felt magic crazy as this
I never saw moons knew the meaning of the sea
I never held emotion in the palm of my hand
Or felt sweet breezes in the top of a tree
But now you're here
Brighten my northern sky
.


Nick Drake | Northern Sky

posted by saturnine | 02:20 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

quarta-feira, 22 de dezembro de 2004




//observação improvável


eu poderia amar (quase) todos os homens do mundo. se ao menos estivessem suficientemente perto. (a distância é a maior amiga do olvido).

posted by saturnine | 22:53 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



*.o little black spot deseja a todos
um Feliz Natal¨.




posted by saturnine | 22:00 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



Always look on the bright side of life


não há dúvida que A Vida de Brian é um filme cheio de sabedoria. e porque é Natal, vem muito a propósito. e se não será o mais indicado guia para o bom conhecimento da verdadeira tradição da presente época, é pelo menos indicado como fonte de inspiração para a resolução de problemas existenciais. quando chego ao limite, faço como Brian:


Now, fuck off!




posted by saturnine | 20:11 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



Retrato de P.


«Mas fugi dos homens que ostentam a sua elegância e beleza e que nunca têm um cabelo fora do lugar. O que agora vos dizem já o disseram muitas vezes; o seu amor é vagabundo e não se prende a nenhum lado. (...)
Livrai-vos de acerditar nos juramentos de Teseu *; mesmo evocando o testemunho dos deuses, fará convosco o que já fez outras vezes. E tu, Demofontes, herdeiro de Teseu e da sua perfídia, depois de teres enganado Fílis já não podes inspirar confiança.»


A Arte de Amar | Ovídio


Não deixa de ser curioso que para todas as mulheres que te amaram, sejas hoje apenas a vaga memória de um desconhecido, que se te encontram na rua, voltam a cara para o outro lado. Mão no peito e mea culpa não impediram Dante de encontrar Teseu nos infernos**.


_________________________________
* Ulisses não era, afinal, o único canalha da história. aliás, talvez não fosse sequer o pior. com juras de amor e casamento, Ariadne conduziu Teseu são e salvo ao exterior do labirinto, para logo depois ser abandonada, esquecida - votada à sua triste sorte. milénios passam e continuam a arder os corações das que, iludidas, esperam.

** in O Inferno

posted by saturnine | 19:17 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



*(O.O)*
/\
//\\
///\\\
////\\\\
/////\\\\\
||
~~~~~~~~~~~






© www.garfield.com


posted by saturnine | 19:16 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

domingo, 19 de dezembro de 2004




HALF-LIFE MEMORIAL

>>> alone like you alone like you alone



dark and creepy. agora que penso nisso, foram alguns anos de dedicação a este assombro. a solidão e o medo eram reais, neste quarto escuro cheio de vozes desconhecidas.



>>> I am the last I am the last I am the last




the Big Boss Man. osso duro de roer. hoje, finalmente caiu.



>>> time to choose



encontro com o G-Man. e depois a escolha: a liberdade ou a morte. a escolha está feita. Gordon Freeman is back.





and in good company.



posted by saturnine | 13:44 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



//against demons


Sentei à minha mesa
os meus demónios interiores
falei-lhes com franqueza
dos meus piores temores

tratei-os com carinho
pus jarra de flores
abri o melhor vinho
trouxe amêndoas e licores

chamei-os pelo nome
quebrei a etiqueta
matei-lhes a sede e a fome
dei-lhes cabo da dieta

conheci bem cada um
pus de lado toda a farsa
abri a minha alma
como se fosse um comparsa

E no fim, já bem bebidos
demos abraços fraternos
saíram de mansinho
aos primeiros alvores
de copos bem erguidos
brindámos aos infernos
fizeram-se ao caminho
sem mágoas nem rancores

Adeus, foi um prazer!
disseram a cantar
mantém a mesa posta
porque havemos de voltar



Demónios interiores
letra de Carlos Tê
música de Jorge Palma


posted by saturnine | 02:05 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



>>> smell memory *


há um mundo inteiro de despojos abandonados dentro dos cheiros. afinal, basta a precipitação da memória aos lugares esquecidos: se fecho os olhos, um sopro enche o quarto de Acqua de Giò. e abro as portas da noite aos demónios em festa.

posted by saturnine | 01:53 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

sábado, 18 de dezembro de 2004




>>> and miles to go before I sleep #8

aprende-se a sobrevivência comendo a terra de queixos no chão. perante as folhas, os ramos, as cinzas, somos sempre seres inferiores. mas resistimos. a tudo aprendi a dissolver, menos os inesperados assaltos da memória e dos cheiros. por isso as ruas cheias de gente bem vestida e perfumada são lugares muito perigosos,e o vago apelo de uma música pode fazer emergir novamente o ardor de agosto em pleno inverno.



_________________________
Well no one told me about her
How many people cried

But it’s too late to say you’re sorry
How would I know?
Why should I care?
Please don’t bother trying to find her
She’s not there

Kill Bill vol. 2 O.S.T.

posted by saturnine | 19:54 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



>>> and miles to go before I sleep #7


não há-de ser coincidência. seja porque a pedra de Sísifo vários acorda durante a noite enquanto rola pela montanha, seja porque a terra nos chama e nós respondemos com as mesmas vozes. ele fala do lugar com que sonhei toda a minha infância, e entretanto esqueci: «Ushuaia, o lugar para lá do qual já só há a solidão absoluta.»

posted by saturnine | 19:45 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



A viagem de Chihiro















fim de semana com roupa quente, leite com mel e limão, e uma história de amor japonesa.

posted by saturnine | 19:38 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



>>> it's the christmas spirit


posted by saturnine | 13:35 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



//wicked ways


abandonei todas as rotinas e os gestos que doem. mas continuo a beber Bacardi com sumo de limão.

posted by saturnine | 01:12 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

sexta-feira, 17 de dezembro de 2004




>>> burn, motherfucker, burn


está comprovado e eu estou satisfeita: Ulisses arde no Inferno (Dante dixit). o que é perfeitamente justo. em algum momento o pulha haveria de ser abandonado à sombra dos seus mil estratagemas. revestido pelas chamas se encontra aquele que regressou, apenas para voltar a partir.


* * *


«Quando me afastei de Circe, que mais de um ano me manteve perto de Gaeta, antes que Eneias assim lhe chamasse, nem a ternura pelo meu filho, nem a pena pelo meu velho pai, nem o amor que deveria fazer Penélope feliz puderam em mim vencer a ânsia que sentia de conhecer o mundo, os vícios e o valor humanos

O Inferno | Dante

posted by saturnine | 22:27 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



nostalgia de inverno:


ao fim do dia, todas as ruas cheiram a Acqua di Giò.

posted by saturnine | 21:45 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

domingo, 12 de dezembro de 2004




>>> needles, bloody needles





























com tudo isto tu acabaste.

posted by saturnine | 18:20 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



das coisas que eu gosto #4

dos edredons de cores vivas e de adormecer com a música a tocar. dos dias em que as horas são vagarosas, e o tempo basta.

posted by saturnine | 15:30 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



//das grandes questões e dos problemas sem solução


«É difícil imaginar até que ponto a natureza humana se pode desfigurar.»


* * *


«De resto, quem se preocupa com problemas irresolúveis?»


Cadernos da Casa Morta | Dostoievski


________________________________
pois aí é que está. seres humanos que somos, e inseparáveis da nossa condição, como poderíamos renegar o pensamento, como poderíamos fazer outra coisa senão colocá-lo ao serviço dos grandes problemas, pois se é para isso que serve o exercício da intelectualidade, para perseguir os grandes mistérios irresolúveis, para elaborar grandes perguntas sem resposta. é a dignidade maior, a lealdade suprema do homem para com a sua natureza, precoupar-se com as grandes questões. confesso a minha maior ingenuidade: eu não compreendo as consciências adormecidas e resignadas. não compreendo o homem conformado com o seu destino.

posted by saturnine | 01:20 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



//perplexidade pela condição humana #2


«Eis o final da minha caminhada: estou na prisão!(...) Eis o meu porto de abrigo para muitos e longos anos, o meu canto, onde entro com esta sensação dolorosa de desconfiança... Mas quem sabe? Quando tiver de o abandonar, daqui a muitos anos, talvez sinta saudades dele!, acrescentava eu, com resquícios daquela sensação malévola que, às vezes, chega até à necessidade de avivar propositadamente uma chaga, como querendo admirar a dor, como se na consciência da enormidade do infortúnio houvesse realmente algum prazer.»


* * *


«(...) surpreendia o suspiro fundo de alguém, um suspiro com o peito todo, como se quisesse sorver aquele ar longínquo e livre, e aliviar com ele a alma oprimida e agrilhoada


Cadernos da Casa Morta | Dostoievski


_______________________________
na prisão, um homem fica face a face com a nudez da sua própria condição. a impossibilidade de um momento só para si, a necessidade de compreender para adaptar-se, tudo o leva a olhar os outros com ávida atenção, a atribuir suma relevância às mais pequenas coisas, porque no exílio outras não há, e onde menos esperava descobre as raízes da sua própria natureza.

posted by saturnine | 01:15 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

sábado, 11 de dezembro de 2004




//perplexidade pela condição humana


«Estendia a decência e a ordem até à pontualidade mais mesquinha; pelos vistos, considerava-se um homem supinamente inteligente, como costumam considerar-se todas as pessoas lorpas e limitadas


* * *


«Ora, os tais renegados, os lobos no meio do rebanho de ovelhas, sja o que for que apresentem como justificação, por exemplo, o ambiente que os oprime, nunca terão razão, sobretudo se perderam também o humanismo. É que a humanidade, o carinho, a comiseração fraterna para com o doente são, por vezes, mais importantes que todos os medicamentos juntos. Já é tempo de deixarmos de alegar o ambiente social que, supostamente, nos oprime. Digamos que sim, que é verdade que tal ambiente nos prejudica muito, mas não é decisivo, e muitas vezes um malandro esperto e experiente encobre e justifica habilmente com esse ambiente não só as suas fraquezas mas, muitas vezes, a sua vileza, espcialmente se sabe falar ou escrever com eloquência.»


Cadernos da Casa Morta | Dostoievski

posted by saturnine | 23:50 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



>>> os grandes epítetos


numa parede da faculdade de Belas Artes uma mão anónima assim completou o grandioso epíteto de outro que assinara:


_____________________________________

PEDRO, O GRANDE   filho da puta

_____________________________________


posted by saturnine | 23:41 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

sexta-feira, 10 de dezembro de 2004




>>> and miles to go before I sleep #6


o frio gela-me a vontade. toda a matéria de escrita condensa-se em mudos assombros que se acumulam como pesos em redor do corpo extenuado.

posted by saturnine | 22:50 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



>>> Santa Claus is coming to town!



não há outra explicação. está tudo em queda vertiginosa. BD Jazz na FNAC a 15 euros! meus amigos, é agora ou nunca! por isso cedi ao espírito natalício e ofereci-me mais dois volumes (vou pagar bem caro o fim do mês, mas what the hell...)

posted by saturnine | 22:30 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

quinta-feira, 9 de dezembro de 2004




//dias com árvores


© Michael Hudson


entretanto, descobri uma galeria de fotografias onde passeio, como entre iguais.

posted by saturnine | 01:12 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

quarta-feira, 8 de dezembro de 2004




>>> (it's) that funny time of year #2




William Henry Fox Talbot
Oak Tree in Winter at Lacock Abbey, early 1840's

posted by saturnine | 23:47 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



//porque é apropriado ler Dostoievski nesta altura do ano

espera-se neve na serra. as mãos doridas como pedras frias pressentem-no. a noite apressa-se pelas encostas e o breu cobre todo o arvoredo. há gelo em todos os vidros e a respiração torna-se visível. sofre-se de um terno encanto. é que o frio corta através da pele como facas afiadas, é frio que dói, e não há consolo nas camisolas de lã. mas ainda assim, amamos o frio, porque se espera neve na serra.

(e aqui, espera-se o momento certo de pendurar o sapatinho vermelho do little black spot).

posted by saturnine | 01:55 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



>>> (it's) that funny time of year



_____________________________

Oh the weather outside is frightful
But the fire is so delightful
And since we've no place to go
Let It Snow! Let It Snow! Let It Snow!

It doesn't show signsof stopping
And I've bought some corn for popping
The lights are turned way down low
Let It Snow! Let It Snow! Let It Snow!

When we finally kissgoodnight
How I'll hate going out in the storm!
But if you'll really hold me tight
All the way home I'll be warm

The fire is slowly dying
And, my dear, we're still goodbying
But as long as you love me so
Let It Snow! Let It Snow! Let It Snow!


Frank Sinatra

posted by saturnine | 01:47 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



*(O.O)*
/\
//\\
///\\\
////\\\\
/////\\\\\
||
~~~~~~~~~~~






© www.garfield.com


posted by saturnine | 01:38 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



>>> "um amigo é uma história que nos salva"
            
Mário Rui de Oliveira


ter um amigo no estrangeiro é pior do que ter um amigo numa cidade diferente? parece certo que sim, que as distâncias maiores são as mais difíceis de superar, o que está mais perto está sempre à mão. seria justo pensar que a cada quilómetro mais o coração se confrange? quanto mais longe estamos, mais sós? algo me diz que a dimensão da angústia não é directamente proporcional à distância a que nos encontramos daquilo que nos falta. dizia-o um antigo professor meu, que ir de Paris a Barcelona não custa nada, perdidos que estamos, é um desviozinho insignificante; o que custa é ir do Porto a Coimbra, a todos os lugares que, por estarem perto, deixamos sempre para depois.

posted by saturnine | 01:22 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

domingo, 5 de dezembro de 2004




>>> das coisas que eu gosto #3

dos dias de sol muito frios, dos cachecóis de muitas cores e das folhas dos áceres que resistem, em luminescência vermelha, junto à estrada. de saber, quando todos os sinais são visíveis, que há um espírito de Natal a despertar.





caso para dizer: it's a funny time of year. *




>>>set as desktop >> centered >> 1024x768



_____________________
* Beth Gibbons

posted by saturnine | 14:03 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



>>> a glass hand cuts through the water
           scything into his twisted roots *


penso nas minhas mãos cheias de incerteza e do quanto fizeram para que o mundo tivesse uma nova ordem. ainda assim, nunca nada te surpreendeu o suficiente, nunca consegui a tua atenção para a linguagem das árvores — que, de todo, não compreendes. saio de cena de mãos derrotadas. mas eu tenho as árvores lá fora à minha espera, e no meio delas caminho como entre iguais. e sei o quanto há mais ainda, para além de longas cabeleiras loiras e unhas bem tratadas. e a ti, o que te resta? a qual de nós abandonou o mundo, afinal?




____________________
* Siouxsie & The Banshees

posted by saturnine | 13:43 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

sábado, 4 de dezembro de 2004




Which Nightmare Before Christmas character are you?



I'm Jack.

Etiquetas: ,


posted by saturnine | 19:05 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------



>>> as compras do mês


###


Les Triplettes de Belleville | Nightmare Before Christmas | BD Jazz, Sydney Bechet



##


Do it the hard way, Chet Baker | Super Discount v.2, Étienne de Crecy



#


Gordon Freeman is back.

posted by saturnine | 18:17 | 0 Comentários


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

spot player special




"us people are just poems"
[ani difranco]


*

calamity.spot[at]gmail.com



~*. through the looking glass .*~




little black spot | portfolio
Baucis & Philemon | tea for two
os dias do minotauro | against demons
menina tangerina | citrus reticulata deliciosa
the woman who could not live with her faulty heart | work in progress
pale blue dot | sala de exposições
o rosto de deus | fairy tales








---------------------------------------------------------------------------------------------------------------


~*. rearview mirror .*~


Maio 2003 . Junho 2003 . Julho 2003 . Agosto 2003 . Setembro 2003 . Outubro 2003 . Novembro 2003 . Dezembro 2003 . Janeiro 2004 . Fevereiro 2004 . Março 2004 . Abril 2004 . Maio 2004 . Junho 2004 . Julho 2004 . Agosto 2004 . Setembro 2004 . Outubro 2004 . Novembro 2004 . Dezembro 2004 . Janeiro 2005 . Fevereiro 2005 . Março 2005 . Abril 2005 . Maio 2005 . Junho 2005 . Julho 2005 . Agosto 2005 . Setembro 2005 . Outubro 2005 . Novembro 2005 . Dezembro 2005 . Janeiro 2006 . Fevereiro 2006 . Março 2006 . Abril 2006 . Maio 2006 . Junho 2006 . Julho 2006 . Agosto 2006 . Setembro 2006 . Outubro 2006 . Novembro 2006 . Dezembro 2006 . Janeiro 2007 . Fevereiro 2007 . Março 2007 . Abril 2007 . Maio 2007 . Junho 2007 . Julho 2007 . Agosto 2007 . Setembro 2007 . Outubro 2007 . Novembro 2007 . Dezembro 2007 . Janeiro 2008 . Fevereiro 2008 . Março 2008 . Abril 2008 . Maio 2008 . Junho 2008 . Julho 2008 . Agosto 2008 . Setembro 2008 . Outubro 2008 . Novembro 2008 . Dezembro 2008 . Janeiro 2009 . Fevereiro 2009 . Março 2009 . Abril 2009 . Maio 2009 . Junho 2009 . Julho 2009 . Agosto 2009 . Setembro 2009 . Outubro 2009 . Novembro 2009 . Dezembro 2009 . Janeiro 2010 . Fevereiro 2010 . Março 2010 . Maio 2010 . Junho 2010 . Julho 2010 . Agosto 2010 . Outubro 2010 . Novembro 2010 . Dezembro 2010 . Janeiro 2011 . Fevereiro 2011 . Março 2011 . Abril 2011 . Maio 2011 . Junho 2011 . Julho 2011 . Agosto 2011 . Setembro 2011 . Outubro 2011 . Janeiro 2012 . Fevereiro 2012 . Março 2012 . Abril 2012 . Maio 2012 . Junho 2012 . Setembro 2012 . Novembro 2012 . Dezembro 2012 . Janeiro 2013 . Janeiro 2014 .


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------


~*. spying glass .*~


a balada do café triste . ágrafo . albergue dos danados . almanaque de ironias menores . a natureza do mal . animais domésticos . antologia do esquecimento . arquivo fantasma . a rute é estranha . as aranhas . as formigas . as pequenas estruturas do ócio . atelier de domesticação de demónios . atum bisnaga . auto-retrato . avatares de um desejo . baggio geodésico . bananafish . bibliotecário de Babel . bloodbeats . caixa-de-lata . casa de cacela . chafarica iconoclasta . coisa ruim . com a luz acesa . comboio de fantasmas . complicadíssima teia . corpo em excesso de velocidade . daily make-up . detective cantor . dias com árvores . dias felizes . e deus criou a mulher . e.g., i.e. . ein moment bitte . em busca da límpida medida . em escuta . estado civil . glooka . i kant, kant you? . imitation of life . isto é o que hoje é . last breath . livros são papéis pintados com tinta . loose lips sink ships . manuel falcão malzbender . mastiga e deita fora . meditação na pastelaria . menina limão . moro aqui . mundo imaginado . não tenho vida para isto . no meu vaso . no vazio da onda . o amor é um cão do inferno . o leitor sem qualidades . o assobio das árvores . paperback cell . pátio alfacinha . o polvo . o regabofe . o rosto de deus . o silêncio dos livros . os cavaleiros camponeses no ano mil no lago de paladru . os amigos de alex . Paris vs. New York . passeio alegre . pathos na polis . postcard blues . post secret . provas de contacto . respirar o mesmo ar . senhor palomar . she hangs brightly . some variations . tarte de rabanete . tempo dual . there is only 1 alice . tratado de metatísica . triciclo feliz . uma por rolo . um blog sobre kleist . vazio bonito . viajador


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------


~*. the bell jar .*~



os lugares comuns: against demons . all work and no play . compêndio de vocações inúteis  .  current mood . filosofia e metafísica quotidiana . fruta esquisita menina aflita . inventário crescente de palavras mais-que-perfeitas . miles to go before I sleep . música no coração  .  música para o dia de hoje . o ponto de vista dos demónios . planos para dominar o mundo . this magic moment  .  you came on like a punch in the heart . you must believe in spring


egosfera: a infância . a minha vida dava um post . afirmações identitárias . a troubled cure for a troubled mind . april was the cruellest month . aquele canto escuro que tudo sabe . as coisas que me passam pela cabeça . fruto saturnino (conhecimento do inferno) . gotham style . mafarricar por aí . Mafia . morto amado nunca mais pára de morrer . o exílio e o reino . os diálogos imaginários . os infernos almofadados . RE: de mail . sina de mulher de bandido . the woman who could not live with her faulty heart . um lugar onde pousar a cabeça   .  correio sentimental


scriptorium: (des)considerações sobre arte . a noite . and death shall have no dominion . angularidades . bicho escala-estantes . do frio . do medo . escrever . exercícios . exercícios de anatomia . exercícios de respiração . exercícios de sobrevivência . Ítaca . lunário . mediterrânica . minimal . parágrafos mínimos . poemas . poemas mínimos . substâncias . teses, tratados e outras elocubrações quase científicas  .  um rumor no arvoredo


grandes amores: a thing of beauty is a joy forever . grandes amores . abraços . Afta . árvores . cat powa . colectânea de explicações avulsas da língua portuguesa  .  declaração de amor a um objecto . declaração de amor a uma cidade . desolação magnífica . divas e heróis . down the rabbit hole . drogas duras . drogas leves . esqueletos no armário . filmes . fotografia . geometrias . heart of darkness . ilustraçãoinício . matéria solar . mitologias . o mar . os livros . pintura . poesia . sol nascente . space is the place . the creatures inside my head . Twin Peaks . us people are just poems . verão  .  you're the night, Lilah


do quotidiano: achados imperdíveis . acidentes quotidianos e outros desastres . blogspotting . carpe diem . celebrações . declarações de emergência . diz que é uma espécie de portfolio . férias  .  greves, renúncias e outras rebeliões . isto anda tudo ligado . livro de reclamações . moleskine de viagem . níveis mínimos de suporte de vida . o existencialismo é um humanismo . só estão bem a fazer pouco


nomes: Aimee Mann . Al Berto . Albert Camus . Ana Teresa Pereira  . Bauhaus . Bismarck . Björk . Bond, James Bond . Camille Claudel . Carlos de Oliveira . Corto Maltese . Edvard Munch . Enki Bilal . Fight Club . Fiona Apple . Garfield . Giacometti . Indiana Jones . Jeff Buckley  .  Kavafis . Klimt . Kurt Halsey . Louise Bourgeois . Malcolm Lowry . Manuel de Freitas . Margaret Atwood . Marguerite Duras . Max Payne . Mia Couto . Monty Python . Nick Drake . Patrick Wolf  .  Sophia de Mello Breyner Andresen . Sylvia Plath . Tarantino . The National . Tim Burton


os outros: a natureza do mal . amigos . dedicatórias . em busca da límpida medida . retalhos e recortes



---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

...it's full of stars...


This page is powered by Blogger. Isn't yours?

blogspot stats